Categories Menu

Artigos

Como Fortalecer o Períneo: mūlabandha do YOGA

Postado por em 18 julho, 2015 em Artigos Yoga | 1 comentário

Como Fortalecer o Períneo: mūlabandha do YOGA

Programa de Fortalecimento do Períneo – YOGA: Prof. Naiana O PERÍNEO é um Músculo Sfíncterpubococcígeo e um centro energético (muladhara chakra). O bom estado do músculo PERÍNEO é fundamental para manter a integridade e o bom funcionamento da uretra e a posição dos órgãos dentro da pélvis. Seu fortalecimento previne incontinência urinária, infecção de urina, “bexiga caída”, ressecamento vaginal, dificuldades com orgasmo, dificuldade de ereção masculina, ejaculação precoce. Este trabalho estimula e regulariza, por tanto, a saúde da atividade sexual. No YOGA chamamos de mūlabandha a contração do períneo e asvini mudrá é a pulsação do períneo. O mūlabandha e asnini mudrá aumentam a potência sexual e a irrigação sanguínea na região pélvica, ajuda efetivamente no controle do orgasmo, evita a dispersão da energia sexual, mantém o equilíbrio hormonal e estimula o metabolismo dos órgãos internos. A energia do corpo tem um curso natural descendente chamado apānavāyu , com a contração do períneo esse fluxo é invertido, forçando-o a elevar a energia no sentido ascendente em direção ao prāṇavāyu, na região do tórax. Originalmente a técnica é usada literalmente para não perder energia e ainda para faze-la subi-la para dentro do corpo. No entanto como efeitos desse prática temos outros inúmeros benefícios. No início o trabalho da pulsação do períneo pode ser feito em conjunto com todos os outros músculos esfíncteres (músculos redondos): contrair períneo, mão, pés, boca e olhos. O ânus, a uretra e o canal vaginal contraem por consequência junto com o períneo. TODOS ESSES MÚSCULOS ESFÍNCTERES ATUAM JUNTOS em um organismo saudável, como um bebê recém nascido que ao mamar estimular a boca, pisca os olhos, contrai as mãos e pés e ainda faz xixi e cocô enquanto mama ou logo após mamar . Veja na imagem abaixo a forma circular dos músculos dos olhos e da boca. PRIMEIRO MÊS: Contrair e relaxar o períneo de forma pulsante. 1 minuto 3  vezes ao dia. Trabalhar 3 minutos por dia. Para facilitar a contração do períneo, use a contração das palmas das mãos, sola dos pés, olhos e lábios. Por consequência serão exercitados esfíncteres anal, uretra e nas mulheres ainda o canal vaginal. Coordene a respiração com a contração.       SEGUNDO MÊS:Trabalho isométrico, ou seja, contrair e segurar aumentando gradativamente o tempo de permanência. 3 minutos 1 vez ao dia. Sendo 3 series de 1 minuto. Trabalhar 3 minutos por dia. Primeira semana: Iniciar pulsando por 50 segundos e prender 10 segundos.Repetir mais 2 séries. Segunda semana: Iniciar pulsando por 40 segundos e prender 20 segundos. Repetir mais 2 séries. Terceira semana: Iniciar pulsando por 30 segundos e prender 30 segundos. Repetir mais 2 séries. Quarta semana: Iniciar pulsando por 20 segundos e prender 40 segundos. Repetir mais 2 séries. TERCEIRO MÊS: Devido a diferente anatomia masculina e feminina nessa etapa o trabalho é diferenciado para que as mulheres possam desenvolver a consciência e coordenação dos anéis vaginais. Homens: Contrair e segurar por 60 segundos. Intervalo de 20 segundos e repetir tudo mais 2 vezes. Mulheres: Trabalhar os anéis vaginais desenvolvendo percepção, resistência, tônus e coordenação. Primeiro minuto: Contrair 1-2-3 de baixo para cima e relaxar 3-2-1 de cima para baixo Segundo minuto: Contrair 3-2-1 de cima para baixo e relaxar 1-2-3 de baixo para cima Terceiro minuto: Trabalho isométrico: Contrair e segurar por 60 segundos. Esse Trabalho diferenciando os 3 anéis vaginais...

Leia Mais

Como Evitar e Curar Problemas Sexuais: Fortalecer o Períneo

Postado por em 15 julho, 2015 em Artigos Yoga | 0 comentários

Como Evitar e Curar Problemas Sexuais: Fortalecer o Períneo

Programa de Fortalecimento do Períneo – YOGA: Prof. Naiana O PERÍNEO é um Músculo Sfíncterpubococcígeo e um centro energético (muladhara chakra). O bom estado do músculo PERÍNEO é fundamental para manter a integridade e o bom funcionamento da uretra e a posição dos órgãos dentro da pélvis. Seu fortalecimento previne incontinência urinária, infecção de urina, “bexiga caída”, ressecamento vaginal, dificuldades com orgasmo, dificuldade de ereção masculina, ejaculação precoce. Este trabalho estimula e regulariza, por tanto, a saúde da atividade sexual. No YOGA chamamos de mūlabandha a contração do períneo e asvini mudrá é a pulsação do períneo. O mūlabandha e asnini mudrá aumentam a potência sexual e a irrigação sanguínea na região pélvica, ajuda efetivamente no controle do orgasmo, evita a dispersão da energia sexual, mantém o equilíbrio hormonal e estimula o metabolismo dos órgãos internos. O curso natural descendente do apānavāyu é invertido, forçando-o a elevar-se em direção ao prāṇavāyu, na região do tórax. No início o trabalho da pulsação do períneo pode ser feito em conjunto com todos os outros músculos esfíncteres (músculos redondos): contrair períneo, mão, pés, boca e olhos. O ânus, a uretra e o canal vaginal contraem por consequência junto com o períneo. TODOS ESSES MÚSCULOS ESFÍNCTERES ATUAM JUNTOS em um organismo saudável, como um bebê recém nascido que ao mamar estimular a boca, pisca os olhos, contrai as mãos e pés e ainda faz xixi e cocô enquanto mama ou logo após mamar . Veja na imagem abaixo a forma circular dos músculos dos olhos e da boca. PRIMEIRO MÊS: Contrair e relaxar o períneo de forma pulsante (asnini mudrá) 1 minuto 3  vezes ao dia. Trabalhar 3 minutos por dia. Para facilitar a contração do períneo, use a contração das palmas das mãos, sola dos pés, olhos e lábios. Por consequência serão exercitados esfíncteres anal, uretra e nas mulheres ainda o canal vaginal.Coordene a respiração com a contração. SEGUNDO MÊS: Trabalho isométrico, ou seja, contrair e segurar aumentando gradativamente o tempo de permanência (mūlabandha) 3 minutos 1 vez ao dia. Sendo 3 series de 1 minuto. Trabalhar 3 minutos por dia. Primeira semana: Iniciar pulsando por 50 segundos e prender 10 segundos.Repetir mais 2 séries. Segunda semana: Iniciar pulsando por 40 segundos e prender 20 segundos. Repetir mais 2 séries. Terceira semana: Iniciar pulsando por 30 segundos e prender 30 segundos. Repetir mais 2 séries. Quarta semana: Iniciar pulsando por 20 segundos e prender 40 segundos. Repetir mais 2 séries. TERCEIRO MÊS: Homens: Contrair e segurar por 60 segundos. Intervalo de 20 segundos e repetir tudo mais 2 vezes. Mulheres: Trabalhar os anéis vaginais desenvolvendo percepção, resistência, tônus e coordenação. Primeiro minuto: Contrair 1-2-3 de baixo para cima e relaxar 3-2-1 de cima para baixo Segundo minuto: Contrair 3-2-1 de cima para baixo e relaxar 1-2-3 de baixo para cima Terceiro minuto: Trabalho isométrico: Contrair e segurar por 60 segundos. Devido a diferente anatomia masculina e feminina nessa etapa o trabalho é diferenciado para que as mulheres possam desenvolver a consciência e coordenação dos anéis vaginais. QUARTO MÊS EM DIANTE: A esta altura os músculos esfíncteres já deverão estar totalmente recuperados e pulsando espontaneamente no dia a dia. Para manter a saúde da região é sugerido continuar com seus 3 minutos diários por toda a vida. Aplicando as variações de contrações que preferir. Mesmo com a anatomia diferenciada entre...

Leia Mais

YOGA NIDRÁ: Sono Consciente

Postado por em 14 julho, 2015 em Artigos Yoga | 1 comentário

YOGA NIDRÁ: Sono Consciente

YOGA NIDRÁ  não é simplesmente relaxamento, é um Sono profundo Consciente. No decorrer da história algumas técnicas de YOGA foram sendo remanejadas e modificadas da sua forma antiga e original. O YOGA NIDRÁ foi uma delas. Então é importante esclarecer que originalmente YOGA NIDRÁ não é método de relaxamento, mas é sim um estado de consciência que o ser humano atinge quando deixa o estado desperto (acordado), passa pelo estágio de sonho e permanece no sono profundo conscientemente e com lucides. YOGA NIDRÁ é um estado de consciência diferenciado e não uma forma de exercício. Em tal estado não há experiência visual, pois os conteúdos ficam sem forma, sem palavras e sem imagens, no entanto a experiência deste estágio de consciência carrega consigo uma certeza absoluta do conhecimento acessado durante a vivência. O retorno é gradativo fazendo uma transição e passando pelo estágio do sono e sonho. Nesse retorno imagens vão nascendo e se formando paulatinamente. Algumas escolas de psicologia chamam essas imagens iniciais de arquétipos. O YOGANIDRÁ antecede o surgimento dos arquétipos e é mais profundo que essa etapa dos arquétipos. YOGANIDRÁ é um estado de consciência tão profundo que acessa a semente dos condicionamentos humanos, ensinamento registrado em escritura muito antiga especialmente no Mandukya Upanishad. O espaço de vazio, sem formas é acessado no centro do peito. Há que se concentrar em esvaziar o centro do peito por ser o local no qual a consciência “dorme” durante o sono profundo. No estágio avançado a percepção do corpo e da respiração já ficaram para trás, o foco não será corpo e respiração e sim o vazio no centro do peito. O exercício completo, antigo, autentico e original de YOGANIDRÁ inclui o processo de ir na raiz dos condicionamentos internos para reprograma-los, para tanto usa-se repetir uma frase de resolução. Ou seja, o praticante delimita uma frase curta, positiva e no presente que resuma uma mudança que deseja tomar no momento. Por exemplo: Sou saudável, sou tranquilo, vivo feliz, etc. Então esta frase de resolução chamada SAMKALPA, deve ser repetida mentalmente algumas vezes pelo praticante no auge do sono consciente. Os exercícios comuns de relaxamento, inclusive os que praticamos nas aulas de yoga são apenas treinos para o verdadeiro YOGA NIDRÁ, uma forma de treinar a capacidade de relaxar conscientemente. Pode ser chamado tecnicamente de YOGA NIDRÁ somente experiências profundas, conscientes, sem imagens ou formas e que vão na semente dos condicionamentos (SAMSKARAS) para desfaze-los. Para chegar nesse nível de ondas mentais com consciência, há que ter prática de treino de relaxar conscientemente, e obviamente não estar cansado para não cair no sono. Há que ter altos índices de energia vital no corpo para sustentar a vivência profunda, portanto fazer uma prática completa de yoga e um bom relaxamento antes é indicado. YOGA NIDRÁ proporciona a consciência dos 3 níveis. Tripura é a consciência dos 3 níveis e diferentes aspectos (Na ótica Tantrica dos 3 níveis de consciência do OM). A baixo variações dos 3 níveis: Desperto, Sonho e Sono Profundo; Mente Consciente, Inconsciente e Subconsciente; Experiências do passado, presente e futuro. A meditação, diferente do YOGA NIDRÁ que acontece no estágio de sono profundo, acontece no estágio acordado, entretanto com a consciência focada e concentrada no exercício permitindo perceber conscientemente, com a prática e o treinamento, conteúdos inconscientes e subconscientes. Podemos...

Leia Mais

Estados de Consciência e Frequências Mentais

Postado por em 14 julho, 2015 em Artigos Yoga, Sem categoria | 0 comentários

Estados de Consciência e Frequências Mentais

Durante a prática de Relaxamentos, Concentrações e Meditação há uma evolução e diferenciação no estado de consciência e frequência de ondas mentais. O ritmo cerebral está associado também aos ritmos da respiração e do coração. Quanto menor a frequência cerebral, respiratória e cardíaca, mais sutil, refinado e sofisticado é o estado de consciência e mais profunda é a experiencia humana nas práticas de Meditação e YOGA NIDRÁ. Podemos classificar os estados de consciência como: –  Desperto (Acordado): Mente consciente ativa. Mente inconsciente processa seus conteúdos mesmo sem ser percebida. Mente  subconsciente ativa com seus conteúdos disponíveis se necessário for acessá-los. – Sonhar acordado (estado entre o acordado, o sonho e o sono profundo): Estado mental que buscamos nos exercícios de relaxamento e visualizações superficiais. Normalmente com ondas mentais Alfa. – Sonho: Ocorre no nível Inconsciente da mente. A mente consciente se recolhe para seu local de origem. Aqui a mente Inconsciente permanece ativa, junto com os registros de conteúdos do Subconsciente. Os conteúdos do Subconsciente se movimentam e formam parte do processo do sonho. – Sono Profundo (PRAJNA): A mente consciente e a mente inconsciente se recolhem para seu local de origem. A mente Subconsciente fica ativa. No estágio subconsciente as memórias não tem imagem e não tem forma, bem como não há a manifestação de ações e pensamentos do Consciente. Passar por esta etapa conscientemente é atingir o estágio de YOGA NIDRÁ. – YOGA NIDRÁ (Sono profundo Consciente do Yoga): deixa o estado desperto, passa pelo estágio de sonho e permanece no sono profundo conscientemente e com lucides. YOGA NIDRÁ é um estado de consciência diferenciado e não uma forma de exercício. Em tal estado não há experiencia visual, pois os conteúdos ficam sem forma, sem palavras e sem imagens, no entanto a experiência deste estágio de consciência carrega consigo uma certeza absoluta do conhecimento acessado durante a vivência. O retorno é gradativo fazendo uma transição e passando pelo estágio do sono e sonho. Nesse retorno imagens vão nascendo e se formando paulatinamente. Algumas escolas de psicologia chamam essas imagens iniciais de arquétipos. O YOGANIDRÁ antecede o surgimento dos arquétipos e é mais profundo que essa etapa dos arquétipos. YOGANIDRÁ é um estado de consciência tão profundo que acessa a semente dos condicionamentos humanos, ensinamento registrado em escritura muito antiga especialmente no Mandukya Upanishad. O espaço de vazio, sem formas é acessado no centro do peito. Há que se concentrar em esvaziar o centro do peito por ser o local no qual a consciência “dorme” durante o sono profundo. No estágio avançado a percepção do corpo e da respiração já ficaram para trás, o foco não será corpo e respiração e sim o vazio no centro do peito. O exercício completo, antigo, autentico e original de YOGANIDRÁ inclui o processo de ir na raiz dos condicionamentos internos para desprograma-los, para tanto usa-se repetir uma frase de resolução. Ou seja, o praticante delimita uma frase curta, positiva e no presente que resuma uma mudança que deseja tomar no momento. Por exemplo: Sou saudável, sou tranquilho, vivo feliz, etc. Então esta frase de resolução chamada SAMKALPA,  deve ser repetida mentalmente algumas vezes pelo praticante no auge do sono consciente. Os exercícios comuns de relaxamento, inclusive os que praticamos nas aulas de yoga são apenas treinos para o verdadeiro YOGA NIDRÁ, uma forma de treinar a...

Leia Mais

Como Evitar Ansiedade e Depressão

Postado por em 5 fevereiro, 2015 em Artigos Yoga | 1 comentário

Como Evitar Ansiedade e Depressão

Taí problemas que estão afetando bastante a população na vida moderna. Pois são efeitos do estresse. Quando a pessoa se estressa com excesso de responsabilidades e cobranças fica com ansiedade, quer correr contra o tempo para dar conta de fazer tudo , mesmo sabendo que não vai dar conta. Ansiedade é um estado de agitação no qual a pessoa fica com os pensamentos no futuro, em geral pré ocupando-se com o futuro. Depois de algum tempo com ansiedade, há um desgaste físico e emocional e é comum que haja uma crise de Depressão. Depressão é um estado de esgotamento, a pessoa sente-se morta por dentro, sem vitalidade, sem disposição e sem ânimo para fazer nada, nem pensar, nem sentir e nem agir. É um estado de exaustão no qual, quando há pensamentos, são remoendo coisas do passado. Não espere chegar a esse ponto para começar a se cuidar! Então para evitar tanto a ansiedade como a depressão é necessário evitar o estresse. Estresse é quando há um ultrapassar os limites saudáveis. Para evitar o estresse: – Não pegue mais responsabilidades que possa cumprir. Só assuma responsabilidades compatíveis com sua capacidade e tempo disponível. – Faça uma lista de prioridades e elimine o que não for prioridade. – Tenha tempo livre para lazer e descanso. – Pratique atividades que repõem a vitalidade: tai chi, meditação, yoga, chi kung. – Pratique técnicas de respiração diariamente pois a respiração além de revigorar o organismo traz a consciência para o momento presente, evitando devaneios no passado e no futuro. Na ansiedade a cabeça fica vivendo o futuro, na depressão a cabeça fica vivendo o pasado. Respirando fundo você poderá viver a vida real no aqui e o agora.  Nos vídeos e artigos do Saúde Sem Limites você vai encontrar bastante exercícios de respiração. – Faça seu planejamento. Saiba quais são seus objetivos de vida. Escreva na sua agenda seus objetivos do dia, da semana, do mês, do semestre e do ano. Tenho claro para internamente seus propósitos de vida. Abraço,...

Leia Mais

Meditação do Perdão

Postado por em 3 fevereiro, 2015 em Artigos Yoga | 1 comentário

Meditação do Perdão

  Olá, Aqui é Naiana do Saúde Sem Limites Parabéns por você estar aqui e agora dedicando seu tempo A uma atitude muito nobre: aprender a perdoar! O peso emocional do rancor que comumente as pessoas carregam acaba gerado muitas doenças! Perdoar é se curar, é ficar mais leve, livre, mais feliz e mais saudável! Mas como perdoar? Como vencer as barreiras do emocional? Como perdoar pessoas que fazem coisas ruins pra mim? É um grande desafio certamente, mas é pra isso que estamos aqui nesse planeta Para sair da mediocridade e aprender a aflorar o que há de mais especial Em nós: o desenvolvimento das virtudes humanas! Aprender a perdoar me ajudou muito e quero compartilhar isso com você! Eu quero que esse passo qualitativo faça a diferença na sua vida também! Então hoje vamos aprender Como Perdoar: Meditação Chinesa: Se conecte com as florestas verdes iluminadas pelo sol. Para os antigos sábios chineses essa paisagem da natureza desperta em seu inconsciente e em seus tecidos embrionários a capacidade de perdoar. Se concentra na floresta iluminada pelo sol e lembre-se de um momento no qual você realmente perdoou alguém. Viu só, a capacidade de perdoar existe dentro de você! Meditação: Hooponopono. Essa técnica parte do princípio de que se aconteceu algo de ruim pra mim Isso é porque algum dia eu andei praticando algo de ruim por aí! Pode parecer estranho para muita gente é uma das leis da vida! Quem Planta, Colhe! O Procedimento vai incluir 9 etapas: 1- Quando vier em sua mente a pessoa que te fez algo de ruim Siga com as frases: 2- “Pessoa” Eu sinto muito se eu te gerei sofrimento 3- Me perdoe se eu te gerei sofrimento 4- Peço perdão ao universo por todas as vezes que gerei sofrimento a qualquer criatura 5- “Pessoa” obrigada por me trazer uma oportunidade de pagar minhas dívidas na contabilidade cósmica. 6- “Pessoa” eu te perdoo pelo sofrimento que me gerou! 7- “Pessoa” sejamos agora livres para a felicidade. 8- Somos irmãos na grande família da vida, eu te amo! 9- Me perdoe, eu te perdoo, obrigada, eu te amo, sejamos livres!   Por mais difícil ou estranho que pareça esse procedimento, pratique e após algum tempo você se sentirá muito leve! Mesmo que no início você ainda não esteja verdadeiramente pronto para perdoar e pedir perdão mentalmente para essa pessoa que te magoou! Mesmo assim vá praticando, com a repetição isso vai sendo processado dentro de você! Nosso cérebro aprende por repetição, então repita até que o perdão aconteça de verdade! E quando acontecer você saberá na hora! E ficará feliz com você mesmo pois sentirá a leveza da liberdade para seguir em frente! Boa Prática, E até a...

Leia Mais

Técnicas de YOGA para Vencer Medos e Pânico

Postado por em 29 janeiro, 2015 em Artigos Yoga | 2 comentários

Técnicas de YOGA para Vencer Medos e Pânico

Neste Artigo vou compartilhar algumas das muitas técnicas naturais para superar e curar medos e pânico. O medo é uma reação para proteger o ser humano dos perigos e assim garantir que a espécie humana sobrevivesse até hoje. Funções do sistema nervoso, glândulas e hormônios trabalham para que o mecanismo do medo exista. Sentir medo é saldável para nos dar limites. No entanto o excesso de medo não é saudável pois pode transformar-se em pânico. Medos excessivos e pânico são disfunções emocionais e bioquímicas. Técnicas de YOGA equilibram o emocional, o sistema nervoso, as glândulas e os hormônios lembrando o corpo de como é funcionar normalmente em suas funções bioquímicas. Por isso técnicas de YOGA são ferramentas bem vindas na cura dessas dificuldades. Exercícios para fazer na hora da crise: Respirar fundo Sentir os pés apoiados no chão, conectar com o contato da sola dos pés no chão, conectar-se com a terra, “enraizar-se” mentalmente. Conectar-se com seu centro de gravidade: ponto localizado dentro do abdômen, um pouco atrás e um pouco abaixo do umbigo. Isso traz centramento interior.   Exercícios para evitar próximas crises e curar medos e pânico: Praticar um dia sim um dia não a Postura do Guerreiro (Foto do Artigos). Trabalhar a força das pernas inconscientemente traz coragem e determinação. Pessoas com medos e pânico precisam MUITO fortalecer as pernas. Pratique a postura olhando para frente e respirando fundo. Permaneça 6 ciclos respiratórios completos para cada lado. Não deixe o joelho flexionado passar da linha do dedão pé. Praticar relaxamento neuromuscular: deitado, a cada expiração solte os músculos e relaxe o corpo um pouco mais. A cada expiração entregue o peso do corpo para a força da gravidade. Ao soltar e abandonar o peso do corpo durante o relaxamento seu sistema nervoso aprender a relaxar e isso desenvolve a confiança. Confiança na vida, confiança nas coisas, confiança em sí. Desenvolve a fé na solução que a vida desenvolve para as coisas. Mentalize a luz branca do ar puro e fresco do alto das montanhas te preenchendo de coragem. Mentalize a Luz azul brilhante do oceano iluminado e aquecido pelo sol te preenchendo de calma e serenidade. Tome florais, ajudam muito. Escreva em um papel e deixe claro para você do que é que você realmente tem medo. Conheça seu problema claramente para poder resolve-lo. Tudo tem solução, respire fundo para ver a solução. Boas Práticas,...

Leia Mais

Meditação

Postado por em 19 dezembro, 2014 em Artigos Yoga | 0 comentários

Meditação

Existem vários tipos de meditação. Meditações ativas (em movimento) e meditaçãoes passivas (sentado estaticamente). Concentração é prender a consciência em uma única direção. Quando a concentração se mantém em uma única direção acontece a meditação. Ou seja começamos concentrando e quando conseguimos de fato manter a concentração estável podemos dizer que estamos no estado de meditação. O problema é que a mente tende a ser muito instável, com muitos pensamentos. Manter-se pensando em apenas uma única coisa é desafiador, mas é sim possível. Yoga é justamente a supressão da instabilidade da mente. Quando o praticante cessa a instabilidade da mente (pensamentos) ele se estabelece em sua própria forma. Do contrario ele pensa ser a instabilidade da sua mente. Então o praticante de meditação aprende a observar seus pensamentos e aprende que ele não é os seus pensamentos. Para ver quem realmente se é, é preciso então silenciar a mente (cessar a instabilidade da consciência). Por isso praticar meditação é uma ótima opção. No estresse da vida moderna a mente humana fica muito mais agitada ainda. Então ficar em silencio e pensar em uma coisa de cada vez é um alívio para o ser humano. Quando a instabilidade da mente é controlada, a mente transmite de forma transparente: – A natureza do praticante que percebe (medita) – A natureza do ato de perceber (meditar) – A natureza daquilo que é percebido (objeto sobre o qual se medita) Os pensamentos são instabilidade da mente. Então primeiro silenciamos a mente para acessar a essência interior e também a essência do objeto sobre o qual se medita. Na meditação profunda ocorre que o praticante é capaz de perceber a frequência do objeto sobre o qual se medita, pois observador (praticante de meditação) e objeto da meditação unificam-se. Por exemplo se você quer meditar concentrando-se no sol, em estados profundos de meditação você sentirá a frequência do sol e acessará todas as informações referentes ao sol, ao concentrar-se profundamente no sol você vibra na mesma frequ~encia do sol e pode perceber todas as informações referentes ao sol. Exemplo de meditação passiva: Sente-se de forma confortável (pode ser em uma cadeira, não precisa ser no chão, respeite seus limites) e permaneça observano a sua respiração por 11 minutos. Seu objeto de concentração e meditação nesse caso será a sua própria respiração. Referências: Yoga Sutra de Patañjali e prática pessoal. Abraços,...

Leia Mais

Posturas de Yoga

Postado por em 19 dezembro, 2014 em Artigos Yoga | 3 comentários

Posturas de Yoga

ASANA – Postura Psicofísica de Yoga O trabalho corporal no yoga na verdade não é apenas físico, é psicofísico, pois as posturas tem uma estrutura interna em termos de respiração, mentalização, contração de plexos e glândulas, fixação ocular, como explicarei na sequência. ÄSANA, as posturas de yoga devem ser estável e confortável “STHIRA-SUKHAM ÄSANAM” (PATAÑJALI, II-46), é dominada quando se elimina a tensão e medita-se no infinito. Ou seja, praticamos sempre respeitando nossos limites com conforto e estabilidade. A Prática regular das posturas de yoga viabiliza a concentração, no início o praticante concentra-se no corpo, nas informações técnicas, preocupa-se em estar correto, mas depois que a mente compreende e estabiliza, o corpo relaxa e o coração se abre, aí sim acontece o ÄSANA, já não há mais os processos mentais (agitação de pensamentos), e medita-se no infinito. É a parada do corpo e da mente em um único foco. Isto expressa a busca da superação da condição humana, ou seja, o YOGA não se contenta com as limitações humanas, quer uma mente, uma consciência e um corpo que vão além, que sejam perfeitos e divinos. ÄSANAS podem ser meditativas ou culturais, segundo SWAMI KUVALAYANANDA. As primeiras reduzem as atividades metabólicas e perturbações fisiológicas ao mínimo, sublimando os estímulos do corpo sobre a mente, facilitando o direcionamento da mente, a concentração e a meditação. Nas meditativas a coluna ereta não comprime as vísceras, a posição das pernas torna a irrigação pélvica rica, estimulando a energia espiritual da KUNDALINI. A produção mínima de gás carbônico favorece a atividade lenta dos pulmões e coração, bem como a concentração. Isto se consegue com a prática e disciplina. As segundas, as culturais, são um treinamento da mente, do sistema nervoso e endócrino. Proporcionam o domínio do corpo, o controle do concreto para o abstrato. Livram de doenças o corpo e a mente, preparam o sistema nervoso, a medula e o cérebro, para suportar a circulação intensa da energia vital, principalmente, porque garantem a saúde da coluna, canal que aloja o sistema nervoso e faz a comunicação corpo-mente, além de ter paralelo a sí, os centros que circulam a energia vital, ou seja coluna ereta, estável e flexível deixa o sistema nervoso passar suas informações e também deixa o fluxo prânico fluir livremente. ÄSANAS produzem resultados fisiológicos especiais, trabalhando a permanência nas diversas possibilidades de posição da coluna em contração e/ou relaxamento de grupos musculares; flexão, hiperextenção, rotação, inclinação, lateral, inversão. Isso age nos órgãos e sistemas internos e vísceras abdominais. Por outro lado vão desenvolvendo equilíbrio, estabilidade e flexibilidade muscular, bem como, proporcionam uma postura ereta da coluna. A coluna saudável é fundamental, pois por ela passa a medula espinhal, de seus espaços intervertebrais saem os nervos, e paralelos a ela estão o sistema simpático e os CAKRAS. A consciência se instala na parte do corpo mais estimulada, no estado de consciência que a técnica propcia e na respiração: nasal, consciente, profunda, ritmada e coordenada com os movimentos de transição da posição do corpo (movimentos para cima inspirando e movimentos para baixo expirando). O praticante deve ser o próprio ÄSANA no momento da prática, unificando (YOGA) a mente e a postura. A transição entre uma postura psicofísica e outra pode ser harmônica, quase que dançando, expressando externamente as transformações que harmonizam o interior. Podemos...

Leia Mais

Reprogramação Mental

Postado por em 13 outubro, 2014 em Artigos Yoga | 0 comentários

Reprogramação Mental

Exercício: Grave com sua voz o texto a baixo e escute todos os dias ao deitar, mesmo que você durma enquanto escuta, seu sistema processará as informações, pois as ondas mentais dos estado de consciência entre a vigília e o sono são especiais para gravar informações. Relaxe, mas procure manter a consciência e a atenção. Procure absorver o que lhe convier durante esse mentalização! Respire fundo por 3 vezes, solte suspiros, com o som que sua respiração queira soltar! Abandone o corpo no chão, entregue-se ao peso da gravidade. Permita uma expressão serena e sorridente na face. Solte seus pés, pernas, coxas, quadris, abdômen, o peito, os ombros, braços, antebraços, mãos, pescoço, cabeça e especialmente os músculos faciais. Agora conte regressivamente de 10 a 1 para relaxar ainda mais. O número 10 representa estar acordado e o número 1 significa relaxamento, descontração e interiorização. 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1. Permita que sua respiração seja nasal, consciente e abdominal. Leve as mãos ao baixo ventre. Quando ar entra o abdômen expande, quando o ar sai o abdômen contrai, como um balão. Sinta o movimento abdominal durante as respiração. Sinta agora o movimento do diafragma torácico durante o ciclo respiratório, quando ar entra, o diafragma desce e empurra para baixo e para fora os órgãos e vísceras abdominais, quando o ar sai, o diafragma sobe para ajudar os pulmões a liberar para fora do corpo o gás carbônico, por isso os órgãos voltam à posição interna com a contração abdominal. Observe agora as 4 fases da respiração: a inspiração, retenção cheia, a expiração e a retenção vazia, primeiramente apenas observe, mas sem interferir. Agora que já praticamos a respiração abdominal, vamos para a respiração intercostal: leve ambas as mãos para as costelas, na lateral do tronco, abra os cotovelos e relaxe-os no solo. Ao inspirar, as costelas expandem empurrando as mãos para fora, ao expirar as costelas retornam ao eixo central do corpo. Na seqüência vamos praticar a respiração peitoral: ao expirar, permita que o peito afunde e esvazie completamente. Por último vamos unir a respiração abdominal, a intercostal e a peitoral, praticando a respiração completa. Enchendo de baixo para cima: abdomen-costelas-peito e soltando de cima para baixo: peito-costela e abdômen. O Abdômen é o primeiro a encher e o ultimo a esvaziar. Agora acione a sensação do sorriso. A reação química do sorriso interno equaliza todo sistema nervoso e libera na corrente sanguínea os hormônios do bem estar! Lembre-se de um lugar, momento ou alguém que inspire esse sorriso em você! Respire fundo e perceba como você está sentindo-se bem! Grave nos registros de sua memória essa impressão e sempre que você precisar se sentir melhor, acesse esse canal, essa freqüência que é sua, que existe dentro de você, pois seu organismo já tem essa sinapse essa reação química de bem estar! Programe-se para absorver todos os nutrientes de cada alimento que você ingerir, permita que qualquer alimento seja saudável no seu corpo beneficiando cada célula, cada molécula. Programe para as suas células regeneração organizada, vitalidade e longevidade. Segundo o Taoísmo os órgãos vitais processam os 5 elementos da natureza e as virtudes. Programe-se para vibrar as frequências ideais para cada um dos 5 órgãos vitais do seu corpo! Permita que seus rins vibrem calma,...

Leia Mais